terça-feira, 29 de outubro de 2013

Texto dedicado à Rosa Chock Vintage

A Rosa Chock Vintage é um ponto de referência para os amantes dos artigos vintage e de segunda-mão pois é uma das lojas mais antigas no Porto que prima pelo estilo irreverente e alternativo. 
Quem passava na Rua do Almada mesmo perto da Rua de Ceuta não ficava indiferente ao prédio que numa das janelas do 2º andar nos acenava com uma decoração exuberante. Uma explosão de cores vibrantes, de formas, de feitios gritava para que descobríssemos a porta e subíssemos. A curiosidade faz-nos subir os degraus sombrios e estreitos para que conseguíssemos ouvir vozes ou música que nos levaria a este espaço, mas o próprio instinto era o derradeiro GPS para encontrar a porta da loja Rosa Chock Vintage.
Esse espaço que desde 2004 tanto marcou um número considerável de pessoas ganhou em 2013 uma nova morada, a Rua Formosa é agora o palco desta loja. 
Mas como cada história tem um início, regressemos às origens… Corria o ano de 1993 quando Fátima abre uma loja de roupa nova, a Zack. Este espaço fez sucesso e fazia as delícias da geração de há quase duas décadas. Para tornar o seu espaço diferente decidiu decorar os manequins com roupa e acessórios totalmente alternativos mas em segunda mão.  Os clientes ficaram delirantes com as roupas que serviam de decoração e queriam adquiri-las. Com o êxito destas peças a proprietária decidiu dedicar-se exclusivamente a elas, mas com o nome Rosa Chock Vintage.
Fazendo ‘’zoom’’ de volta ao presente, mais precisamente para o interior da loja, é bastante particular a forma como está organizada, porque, bem… Está desorganizada! Não segue o padrão comum das lojas, as roupas penduradas sem distinguir números ou separar vestidos de blusas ou casacos, o calçado empilhado… O objectivo é que cada cliente procure, vasculhe, como se fosse um baú gigante. O verdadeiro conceito de ‘’achado’’ e, por isso, não há um artigo preferido em particular. 
A Rosa Chock Vintage conserva este estilo muito próprio e conseguiu crescer tornando-se um ponto de referência graças às suas roupas em segunda mão de estilo vintage e alternativo. 
Um dos melhores comentários à loja foi o de Maria Van Zeller Azeredo: "Quando se quiser vestir bem, chique para qualquer ocasião não hesite! A loja da D. Fátima é fantástica em preços e coisas lindas!!!!!!!!! A nova loja é na Rua Formosa, vira na Sá da Bandeira e é depois do cruzamento com Santa Catarina à esquerda. Tudo o que há de melhor no mundo, as melhores marcas tudo e aconselhamento por uma especialista!!!!!!!!!!!!! Adoro!!!!

* Este texto foi dedicado à loja Rosa Chock Vintage pela página Porto Goes Vintage 

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Aberto Sempre: Das 11h às 20h
Rua Formosa, 170 / 168, situada nas traseiras do Coliseu do Porto junto a Santa Catarina.
TLM: 918 245 176
TELEF: 222 014 405
fatimarosachock@gmail.com
Porto - Portugal.



 




VIDEOPOLAROID V from Cia Excessos on Vimeo.































Lojas de Roupa de Segunda mão no Porto








Quinta-feira, 24.02.2011
Por Ana Isabel Pereira 
Quem é que não conhece a Rosa Chock? Sim,aquela loja com os manequins com look retro a espreitar à janela do primeiro andar do número 225 da Rua do Almada – pronto, se calhar, até havia quem não soubesse o que era aquilo, mas, agora, essas pessoas já não têm desculpa.
É a loja de roupa e acessórios em segunda mão – e não só, mas já lá vamos – mais conceituada do Porto e, a partir de sábado, ganha uma gémea, a Loja 2, na Rua Formosa, 168 (nas traseiras do Coliseu).
A nova loja reconstitui uma época em particular, os anos 60/70, que viram nascer Fátima Leite, a dona da Rosa Chock. “Lá, tenho coisas mais especiais que fui comprando e encontrando com calma, desde roupa de festa a relógios e outros objectos, passando por mesinhas e candeeiros”, conta a responsável
Não é à toa que “as meninas dos Morangos com Açúcar”, “algumas de Lisboa”, vão de propósito à Rosa Chock.
“O artigo tem de estar tão novo como a roupa nova”, conta Fátima Leite, natural de Braga e que teve, durante 12 anos, negócio na Rua Oliveira Monteiro, antes de se mudar para a Rua do Almada.
“O cliente pode levar a roupa vestida directo daqui”, garante, atestando a limpeza e o aprumo destas peças saídas do baú.
Há camisas floridas, que fazem lembrar as meninas da Resistência Francesa nas suas bicicletas, pochetes delicadas e únicas, casacos de pele, vestidos – humm, como descrever? – fantasiosos e óculos retro, como os “olhos de gata” que estão agora de novo  na moda. Tudo em primeira, segunda, sabe-se lá quantas mãos. Mas como novo, sublinha Fátima.
Mas, aqui, não há só usado. Em algumas cruzetas, estão pendurados vestidos novinhos em folha da Zach, roupa que, sem ser de estilista, “é de autor” e que vemos a vestir como uma luva na fashionable Sienna Miller. Não têm etiquetas porque Fátima as tirou. A Rosa Chock é a única no Porto e das poucas no país que vende esta marca acessível (na loja, encontramos vestidos a 30 e a 40 euros). “Só conheço outra loja no Algarve que vende”, diz a responsável.
Fátima Leite não aceita que lhe levem coisas para pôr à venda. “Não gosto dessa coisa de ‘está velho para mim’ ou ‘eu já não gosto, por isso venho despachar aqui’”, explica. A comerciante viaja com regularidade para Londres, claro, Barcelona e Madrid e recebe artigos de Amesterdão. Procura roupas especiais e arremata peças e acessórios por atacado. “Sai-me mais barato assim”, conta.

Imprensa - Mídia - Press




segunda-feira, 29 de novembro de 2010